<img height="1" width="1" style="display:none;" alt="" src="https://dc.ads.linkedin.com/collect/?pid=81693&amp;fmt=gif">

15 ideias para um blog corporativo: como aumentar a captação de leads

Resumo do post
Já se passaram mais de 30 anos desde que Justin Hall criou o Links.net, um dos primeiros sites HTML que viu nascer o que hoje se conhece como “blog”. Embora naquela época todos esses sites fossem utilizados para publicar informações de cunho pessoal, o objetivo deste artigo é falar sobre blogs corporativos. Veja 15 ideias para seu blog corporativo para não só aumentar a captação de leads, mas também melhorar o posicionamento da sua marca.

O que é um blog corporativo: benefícios para sua empresa

Ter um blog associado à sua marca é algo fundamental em qualquer estratégia de inbound marketing, já que permite atingir diversos objetivos: geração de leads qualificados, visibilidade e posicionamento da marca, manutenção do engajamento dos usuários, etc.

Mas antes de entrar em detalhes, você sabe o que é um blog corporativo? São sites compostos por artigos, escritos por empresas ou negócios, sobre um determinado setor. Não é preciso ir tão longe: o próprio blog da InboundCycle é um exemplo de blog corporativo.

Como você verá, os benefícios de ter um blog corporativo estão intimamente relacionados aos objetivos já mencionados:

Ter um blog corporativo na sua estratégia de inbound marketing tem muitas vantagens, embora isso não aconteça da noite para o dia. Um blog gera maior desempenho a médio e longo prazo porque é construído com base no posicionamento orgânico. Isso significa que é uma ferramenta que agregará grande valor a partir de seis meses e cujos efeitos positivos perdurarão no futuro.

Você gosta do que está lendo? Inscreva-se para receber os novos posts e notícias de marketing e vendas no seu e-mail

15 ideias para um blog corporativo para aumentar a visibilidade e o engajamento da sua marca

Agora que você conhece as vantagens de ter um blog corporativo, está preparado para melhorar a visibilidade da sua empresa e se tornar referência no seu setor? Se esse é o caso, coloque essas ideias em prática:

1. Escolha temas relacionados ao seu produto ou serviço

Se a sua empresa se dedica à venda de móveis, não faz sentido criar um blog corporativo que fale sobre temas relacionados a finanças pessoais ou viagens. Pelo contrário, existem muitos outros tipos de conteúdo que podem interessar ao seu público-alvo: decoração de interiores, limpeza, produtos domésticos, tendências de materiais, entre outros.

Tenha em mente que o posicionamento orgânico do seu blog estará intimamente relacionado à autoridade de domínio que seu site possui. Portanto, discutir temas que fogem dos interesses de seus potenciais clientes pode prejudicar sua reputação online aos olhos dos usuários.

Abra sua mente para novas ideias e não se limite apenas aos temas mais ligados ao seu produto ou serviço. Por isso é muito importante conhecer sua buyer persona e ter clareza sobre suas preferências, dores e necessidades.

2. Pesquise a concorrência

É possível obter boas ideias para seu blog corporativo através do que seus seguidores falam e postam em redes sociais ou outros canais. Você pode, inclusive, verificar quais das palavras-chave usadas pelos seus concorrentes se posicionam melhor e têm maior volume de busca com ferramentas como SEMrush ou Ahrefs.

Conheça as ferramentas, preços e como a HubSpot pode ajudar a alcançar seus objetivos de marketing

3. Selecione palavras-chave com boas métricas

E não apenas as palavras-chave da concorrência. Você pode descobrir keywords que outras empresas do seu setor não usam, mas que têm um bom volume de pesquisa. Isso significa que a concorrência não será muito acirrada e, portanto, haverá mais chances de que você fique no topo dos resultados das SERP. Veja nesse artigo 12 ferramentas para pesquisar palavras-chave e o passo a seguir.

4. Conheça seu público-alvo e sua intenção de busca

Para que os conteúdos do seu blog corporativo possam agregar valor aos potenciais consumidores, você deve criá-los pensando em resolver as necessidades ou problemas desses leitores.

Antes de começar a gerar conteúdo, faça uma análise prévia das palavras-chave que você tem interesse em trabalhar em sua estratégia. É importante ressaltar que nem sempre as keywords que apresentarem maior volume e menor dificuldade serão as melhores, mas sim as que tiverem o equilíbrio correto dessas e outras métricas em relação ao seu objetivo e à autoridade do seu domínio.

Além disso, outro aspecto fundamental é revisar a intenção de busca do usuário, ou seja, qual o objetivo final ou o problema que o usuário quer resolver através dessa pesquisa.

Como descobrir a intenção de busca? Pesquise a palavra-chave no Google da mesma forma que os usuários fariam e veja os resultados que aparecem. Se os resultados forem de sites concorrentes ou complementares ao seu negócio, você encontrou a intenção certa. Se fizerem parte de outro setor, é melhor descartar essa palavra-chave.

5. Gere conteúdo educacional

Trabalhar conteúdos informativos em seu blog corporativo pode ajudar a guiar os usuários que estão nas fases iniciais do processo de compra para fases mais BOFU. Além disso, estes temas são uma boa aposta, principalmente se o seu site for um ecommerce que funciona com palavras-chave comerciais. Os conteúdos informativos evitarão que seu blog e seu site concorram entre si para se posicionar com as mesmas palavras-chave, o que afeta negativamente o SEO.

6. Trabalhe o storytelling

Os usuários adoram uma boa história, especialmente se eles podem se identificar com ela. O storytelling ajuda a aumentar consideravelmente a confiança do potencial consumidor na sua empresa, humanizando a marca ao mostrar emoções e experiências verdadeiras. Uma dica: depoimentos costumam funcionar muito bem!

Baixe nosso modelo de buyer persona gratuito e dê um passo à frente da concorrência

7. Crie seu blog corporativo pensando também no Google

Sim, o Google está em constante evolução com o objetivo de melhorar seus serviços e proporcionar melhores experiências aos seus usuários. Portanto, fique muito atento às mudanças no algoritmo do Google para que seu blog esteja sempre atualizado, levando em consideração suas especificações.

8. Onde colocar as palavras-chave

Usar a palavra-chave principal em um artigo costuma ser uma dor de cabeça e, às vezes, há uma tendência em usá-la mais vezes do que realmente é necessário por medo de que não apareça o suficiente. Isso é chamado de keyword stuffing e é uma das piores práticas de SEO. Portanto, não é algo que você deva fazer nos artigos do seu blog corporativo. Sua palavra-chave principal deve aparecer, no mínimo, no título, na meta descrição, no primeiro parágrafo, na URL, em pelo menos um H2 e em alguns dos textos alternativos de suas imagens.

9. Índice

O índice não apenas melhora a experiência do usuário, permitindo ir rapidamente para a seção desejada do artigo, mas também aumenta a probabilidade de uma postagem aparecer em um featured snippets ou fragmentos destacados.

10. Autor do artigo

Você se lembra de que uma das principais vantagens de ter um blog corporativo é o fato de sua empresa se tornar referência no setor? Pois bem, adicionar o autor do artigo nas postagens permite que você alcance esse benefício. Além disso, nas últimas alterações de algoritmo, o Google passou a premiar blogs corporativos dos setores científico e de saúde que adicionam o autor de uma postagem e demonstram que ele realmente é especialista no assunto.

11. Pratique o guest posting

A prática de guest posting permite aumentar a visibilidade da sua marca utilizando a reputação de outros blogs. Além do mais, ajuda a melhorar o posicionamento orgânico através de link building ou, em outras palavras, através da geração de links de entrada de qualidade para seu blog corporativo.

12. Coloque um link para o blog no site corporativo

Por um lado, esta opção permitirá que os usuários do seu site acessem facilmente um centro de recursos educacionais para direcioná-los às próximas etapas do funil. E, por outro lado, o Google leva em consideração links internos ao definir a autoridade de um domínio.

13. Adicione uma área de comentários

É sempre uma boa ideia que um blog tenha espaço para comentários dos leitores. Graças a esta função, você pode obter novas ideias, já que os usuários geralmente discutem tópicos que dizem respeito à sua marca. É importante que você responda a esses comentários para evitar que a pessoa tenha uma experiência ruim no seu site.

14. Compartilhe o conteúdo do seu blog corporativo nas redes sociais

Compartilhar seu conteúdo nas redes sociais permite atingir um público diferente daquele que chega ao blog por meio de visitas orgânicas. Se você compartilhar o conteúdo, poderá impactar os usuários que seguem sua marca, aumentando o engajamento. E você ainda alcançará outras pessoas que atualmente não procuram nada relacionado à sua empresa, mas que estão interessadas no seu conteúdo e que podem levá-lo em consideração no futuro.

Nova call to action

15. Analise os resultados

Este é o último ponto para aumentar as visitas orgânicas. Esta ação está intimamente ligada a todas as outras ideias para blog corporativo listadas no artigo. É sempre aconselhável analisar os resultados para:

  • Obter conclusões
  • Apender com as ações realizadas
  • Otimizar os ativos que estão gerando métricas indesejadas

Lembre-se de que melhorar o posicionamento e o engajamento da marca não é o único objetivo que você pode alcançar com seu blog corporativo. Outro exemplo, e ao mesmo tempo vantagem, é converter essas visitas geradas em leads qualificados. Como fazer isso? Continue lendo para descobrir.

11 formatos de conteúdo que você pode usar para capturar leads

Graças à criação de iscas digitais e de conteúdos exclusivos, é possível solicitar os dados dos usuários interessados. Por isso, você deve trabalhar com conteúdos de valor, que resolvam as dores do prospect. Caso contrário, não gerarão interesse. Aqui estão 11 ideias para usar no seu blog corporativo:

1. E-books ou guias

Muitas vezes, ao pensar em exemplos de iscas digitais, a primeira opção que vem à cabeça são os e-books ou guias para download.

Esses conteúdos costumam ser as opções mais utilizadas pelas empresas, pois apresentam resultados muito bons. Neles o usuário pode acessar informações valiosas sobre como resolver um de seus principais problemas.

No link a seguir você encontra como exemplo o e-book “Guia completo da HubSpot e as funcionalidades para o seu negócio.”

2. Infográficos

Os infográficos podem ser compartilhados com o usuário sem solicitar nenhum dado em troca ou, se oferecerem informações novas e relevantes o suficiente, solicitando dados básicos. Sendo visual e fácil de consumir, geralmente são um dos formatos mais compartilhados na internet.

Fonte: iStock

3. Podcasts ou entrevistas com especialistas

Ultimamente as entrevistas com pessoas conhecidas em certos setores são tendência, tanto em formato de vídeo quanto de áudio. Neste sentido, e embora possam ser necessários mais recursos para produzi-los do que outros tipos de iscas, as entrevistas com especialistas são uma opção muito válida a ter em conta, pois podem agregar muito valor aos seus potenciais clientes e, ao mesmo tempo, ajudar sua marca a ganhar visibilidade e reconhecimento no seu setor.

Recomenda-se também que estas entrevistas sejam acompanhadas de um conteúdo escrito, em formato de legenda ou de transcrição. Você pode solicitar ao seu prospect dados relevantes em troca do acesso a esse conteúdo exclusivo.

4. Webinars

Os webinars são seminários online, em formato de vídeo, nos quais um especialista ensina sobre um tema. Existem webinars que são transmitidos ao vivo e aqueles que são atemporais:

  • Ao vivo: a estratégia de captação que normalmente se usa consiste em permitir apenas a participação de usuários que se registam previamente, deixando seus dados em um formulário.
  • Atemporais: funcionam da mesma forma que um e-book ou guia.

É um formato que costuma funcionar muito bem porque o conteúdo audiovisual é muito mais fácil de consumir para o usuário final. A desvantagem é que, principalmente no caso de transmissões ao vivo, são um pouco mais difíceis de realizar porque são necessários mais recursos do que na maioria dos formatos.

No link a seguir você encontra um exemplo de webinar ao vivo: “Como criar conteúdos para SEO”.

Fonte: SEMRush

5. Quizzes

Quem não gosta de testar seus conhecimentos sobre um tema de interesse? Os quizzes são conteúdos que tendem a ser ignorados porque, em princípio, responder às perguntas não traz nada em troca ao usuário. Mas e se for oferecida uma recompensa para quem completar o teste? Ao dar um pequeno presente simbólico ao final desta ação, como um e-book ou um infográfico, você pode solicitar as informações necessárias sobre o prospect quando ele quiser ver o resultado. Claro, você deve avisá-lo antes que, ao completar o quiz, ele receberá um prêmio. Assim ele não sentirá que está deixando seus dados sem receber nada em troca.

Confira um exemplo com o quiz: “Carreiras em Marketing Digital: qual é a área do marketing que mais combina com você?”.

Fonte: Hubspot

6. Modelos e templates

O objetivo dos modelos é facilitar o trabalho dos clientes potenciais, por isso eles geralmente são formatos amplamente utilizados em estratégias B2B. No link a seguir você pode encontrar como exemplo o modelo para realizar uma análise da sua concorrência.

7. Newsletter

Quando um usuário se inscreve em uma newsletter, ele demonstra interesse em receber mais conteúdo sobre sua marca ou seu setor. Esta informação permite que você o nutra enviando conteúdo valioso de forma recorrente, mantenha o lead engajado com sua marca e, ao mesmo tempo, permaneça no Top of Mind.

No entanto, é verdade que este é o método que costuma pedir menos dados. Por isso, é importante aproveitar esse interesse para oferecer conteúdos relacionados mais completos, com os quais você pode solicitar dados mais relevantes sobre o seu potencial cliente.

Nueva llamada a la acción

8. Casos de sucesso

Têm objetivo e dinâmica semelhantes aos e-books ou guias, porém, ao contrário destes últimos, os casos de sucesso desempenham um papel muito mais importante quando se trata de influenciar a decisão de compra do usuário. Isto se deve principalmente a dois fatores: por um lado, esse tipo de isca digital costuma ser consultado por está muito próximo da fase de compra. Por outro lado, seu conteúdo mostra como você trabalha e como ajudou outras pessoas no passado que tinham o mesmo problema que seu cliente potencial.

No link a seguir, você pode encontrar como exemplo o caso de sucesso da Affinity.

9. Estudos

Também se assemelham a e-books ou guias, mas neste caso, sua marca será vista como referência no setor ao divulgar conhecimento sobre as últimas tendências, ações que dão melhores resultados, etc. Portanto, um estudo pode ajudar a gerar confiança e mostrar que você sabe do que está falando.

Veja no link a seguir o exemplo de Estudo de Fatores de Ranqueamento.

Fonte: SEMRush

10. Comparativos

Este material geralmente é apresentado em formato de e-book, mas ao contrário dele, uma comparação oferece a possibilidade de posicionar seu produto ou serviço acima da concorrência. Portanto, geralmente também influencia o processo de compra.

No link a seguir você encontra como exemplo a comparação “9 ferramentas de automação de marketing: qual é a melhor para você?”.

11. Glossários e dicionários

Ao solicitar os dados de um usuário, você deve sempre oferecer um recurso de valor em troca. Caso contrário, isso pode causar frustração e seu público deixará de ver sua marca de maneira favorável.

Para que um glossário atenda a esse objetivo, você deve fugir de um dicionário padrão e ir mais longe, fornecendo informações diferenciais e novidades que se afastem de definições básicas.

Veja aqui um exemplo de dicionário de marketing online.

Onde colocar o CTA para obter mais leads

Agora que você já sabe quais tipos de conteúdo pode criar para seu blog corporativo, veja quatro dicas para posicionar as chamadas para ação no seu site.

1. Dentro de uma postagem

Você pode inserir um CTA de três formas diferentes:

  • Ao longo do conteúdo e em forma de botão. Pode ser em formato de banner pequeno para não atrapalhar a leitura.
  • Ao longo do conteúdo e em formato de texto. Esse tipo de CTA funciona muito bem porque o leitor não tem a sensação de ser “empurrado” para outro conteúdo, como acontece com botões. 
  • No final do artigo e em forma de botão. Como o usuário já estará no fim do artigo, o CTA não irá atrapalhar sua leitura. Por isso, a chamada para ação pode ser maior em comparação com aquela do meio do post. Assim ele irá se destacar ainda mais.

2. Sidebar

A sidebar é o espaço lateral de um site que, muitas vezes, é desperdiçado. Experimente diferentes botões nessa área para ver qual deles funciona melhor. Caso opte por adicionar um CTA neste espaço, ele deve estar em formato vertical.

3. Pop-up

O pop-up é um elemento muito útil para engajar os usuários das páginas mais visualizadas. Se uma pessoa leu o artigo, mas não clicou em nenhuma chamada para ação, você pode mostrar um pop-up, com um conteúdo para download relacionado ao tema, quando o usuário fechar a aba.

Lembre-se de criar pop-ups com formatos adequados tanto para celular como para desktop, sempre seguindo as recomendações do Google para que esta prática não afete negativamente o SEO ou a experiência do usuário. Por exemplo, o algoritmo do Google penaliza sites que possuem pop-ups que não permitem ver bem o conteúdo.

Fonte: SEMRush

4. Slider

O slider é um elemento que, normalmente, é colocado na página inicial do blog corporativo e que permite exibir visualmente os artigos e/ou materiais para download que você deseja destacar. A página inicial do blog costuma ser uma das páginas mais visitadas, então pode ser uma opção muito boa para aumentar a captação.

Quais informações solicitar nos formulários

Para encerrar este post, há uma pergunta muito relevante quando o assunto é geração de leads: que dados solicitar aos usuários?

A regra é muito simples: quanto mais valor você adicionar ao seu conteúdo, mais dados poderá solicitar para conhecer melhor seu potencial cliente. Por exemplo, casos de sucesso costumam gerar muito valor e geralmente são conteúdos baixados apenas por leads que estão avançados no processo de compra. Portanto, você pode solicitar mais dados do que em um ebook ou comparativo.

Em qualquer caso, os dados básicos que você deve pedir em troca de qualquer download são nome e sobrenome, email e uma informação que permita ver rapidamente se o contato é sua buyer persona ou não.

Conclusões sobre as ideias para um blog corporativo

Neste artigo, você viu 15 ideias para blog corporativo que o ajudarão a atingir seus objetivos e melhorar seus resultados. Caso precise de mais ajuda, entre em contato e faça seu blog corporativo decolar.

Quais dessas ideias você já colocou em prática? Qual funciona melhor no seu blog? Você tem alguma sugestão que não foi mencionada? Deixe nos comentários!

Nova call to action

Publicado em 11 de junho de 2024.

Revisado e validado por Jalusa Lopes, Country Manager da InboundCycle Brasil.

Fontes

  1. Links.net - Justin's Links

FAQ sobre blog corporativo

  • O que é um blog de uma empresa?

    Um blog corporativo é uma plataforma digital que as empresas utilizam para publicar conteúdo relacionado à sua área de atuação, produtos ou serviços. Este tipo de blog serve como uma ferramenta de marketing de conteúdo para ajudar a empresa a construir sua marca, engajar-se com clientes, compartilhar insights e novidades e, até mesmo, melhorar sua visibilidade online através de SEO (Search Engine Optimization).

  • Como elaborar um blog corporativo?

    Para elaborar um blog corporativo, comece definindo os objetivos do blog. Em seguida, identifique o público-alvo e suas necessidades. É fundamental planejar uma estratégia de conteúdo consistente, que inclua temas relevantes ao setor e à expertise da empresa. Invista em uma plataforma de blog para SEO, garantindo que o design seja visualmente atraente. Desenvolva um calendário editorial para organizar a frequência e os temas das postagens. Além disso, promova o blog através de canais de mídia social e email marketing. Por fim, monitore regularmente o desempenho do blog através de ferramentas de análise para ajustar e otimizar a estratégia de conteúdo.

  • Por que uma empresa deve ter um blog?

    Uma empresa deve ter um blog corporativo como parte de sua estratégia de marketing digital para estabelecer autoridade no setor, melhorar o engajamento com clientes e potenciais clientes e aumentar a visibilidade online. Um blog permite à empresa demonstrar seu conhecimento e experiência, fornecendo conteúdo valioso e relevante que pode educar e informar o público-alvo. Além disso, o conteúdo do blog melhora o SEO do site, ajudando a empresa a subir nos rankings de pesquisa e atrair mais tráfego orgânico. Isso pode levar a mais leads e, eventualmente, a um aumento nas vendas.

  • Qual é o principal objetivo de um blog?

    O principal objetivo de um blog é fornecer uma plataforma para publicar conteúdo relevante e informativo que engaje o público-alvo, construa autoridade e credibilidade e estimule interações positivas com os leitores. Um blog também pode melhorar a visibilidade online de uma pessoa, marca ou empresa, atraindo mais tráfego para o site, gerando leads e, potencialmente, convertendo esses leads em clientes ou seguidores fieis.
  • O que é o mais importante ao criar um blog?

    Ao criar um blog, o mais importante é definir claramente o público-alvo e os objetivos específicos que se deseja alcançar, pois isso guiará todo o desenvolvimento de conteúdo e a estratégia de marketing. É essencial produzir conteúdo de alta qualidade, relevante e útil para o público, mantendo uma consistência tanto na qualidade quanto na frequência das postagens.
  • O que falar em um blog?

    O conteúdo de um blog deve ser estrategicamente planejado para refletir os interesses e necessidades do público-alvo, enquanto promove os objetivos e valores da marca ou indivíduo que o mantém. Geralmente, fala-se sobre temas que são relevantes para a área de atuação da entidade responsável pelo blog, como tutoriais, dicas, análises de produtos ou serviços, tendências de mercado e estudos de caso. Também é comum incluir postagens que oferecem insights sobre a cultura da empresa, eventos importantes e desenvolvimentos na indústria que possam interessar aos leitores.
Ver mais

Outros posts que podem te interessar...

Captação de leads Geração de demanda: 6 passos para iniciar esta estratégia
Por Anna Soldevila en
Captação de leads Modelo freemium: o que é, como funciona, vantagens e exemplos
Por Ana Claudia Ferreira en
Captação de leads Isca digital: o que é e 4 passos para implementá-la na sua estratégia
Por Clara Muxach en
Captação de leads Ponto de contato e sua importância para a experiência do cliente?
Por Laia Minyana en

O que você acha? Deixe um comentário!