<img height="1" width="1" style="display:none;" alt="" src="https://dc.ads.linkedin.com/collect/?pid=81693&amp;fmt=gif">

Marketplace: o que é, como funciona, tipos e exemplos

Ao ir ao mercado, a pessoa pode comprar carne, frutas, peixes e muitos outros itens em um mesmo lugar. Essa forma tradicional também pode ser vista no mundo digital e agora, mais do que nunca, as pessoas estão procurando mais informações sobre o marketplace: o que é, como funciona e como usá-lo.

Além de ser muito conveniente para os usuários, é uma grande oportunidade para empresas oferecerem seus produtos e serviços online. Incluir a presença de marketplaces na sua estratégia de marketing digital pode ser uma ótima ideia para aumentar o número de oportunidades comerciais.

Marketplace: o que é?

Um marketplace é uma plataforma ou site onde diferentes vendedores, marcas e empresas se reúnem com o objetivo de expor seus produtos ou serviços É um tipo de e-commerce e, para muitas companhias, é o principal canal de comércio eletrônico.

Este espaço está aberto para qualquer empresa e atua como intermediário entre compradores e vendedores. Os produtos são divididos em diferentes categorias e o usuário também pode pesquisar o que deseja comprar em um mecanismo de busca.

O modelo de negócios de um marketplace é baseado nas comissões de vendas cobradas das empresas para listar e vender seus produtos. Essas plataformas também oferecem também outros serviços para aumentar o lucro das marcas, como gestão de stocks, envios, devoluções ou publicidade dentro da plataforma, entre outros.

Você gosta do que está lendo? Inscreva-se para receber os novos posts e notícias de marketing e vendas no seu e-mail

Marketplace: o que é e diferenças para o e-commerce

Agora que você já sabe mais sobre o marketplace: o que é e seu objetivo, é importante entender a diferença entre esse conceito e e-commerce. Enquanto o primeiro reúne um grande número de vendedores e marcas, é uma plataforma controlada por terceiros. Já o e-commerce é a loja individual da própria empresa e só ela coloca seus serviços ou produtos à venda.

É muito mais fácil entender esse conceito ao transferi-lo para o mundo físico. O marketplace é algo semelhante a um shopping, pois as empresas compartilham o espaço, enquanto o e-commerce se assemelha mais a uma loja de bairro: embora divida a rua com outros negócios, é totalmente independente.

Marketplace: o que é e como funciona 

Colocar seus produtos à venda em um marketplace é relativamente simples, mas existe um processo. O primeiro passo é criar uma conta de vendedor e cadastrar sua loja, incluindo logotipo, descrição, dados fiscais, formas de pagamento, entre outros. Assim que a configuração inicial estiver pronta, você precisa fazer upload dos produtos que deseja vender.

Em muitos casos, é preciso passar por uma verificação feita pela equipe do marketplace. Depois disso, seus produtos passam a aparecer nas categorias selecionadas e nas buscas dos usuários. Quando ocorrer uma venda, a plataforma vai te notificar e você começa o processo de envio. Cada venda gera uma comissão de vendas, que pode variar de 3 a 9,5% de acordo com a plataforma e das condições oferecidas.

Uma vez concluída a transação, a rentabilidade da venda é transferida para sua conta bancária – porém, é importante ressaltar que a maioria dos marketplaces retém o dinheiro das vendas em forma de saldo e libera os pagamentos apenas durante os ciclos indicados. Se necessário, os vendedores também podem solicitar a transferência de forma manual.

Saber mais sobre marketplace: o que é e como vender envolve cumprir as políticas e termos da plataforma. Se a loja descumprir as regras, ela pode ser expulsa do espaço, por isso é importante ler o documento para entender o que pode ou não ser feito.

Outro ponto a considerar é o sistema de classificação do produto pelos usuários. Os compradores podem deixar suas opiniões e avaliações sobre um produto ou atendimento ao cliente. Isso permite que outros clientes leiam as resenhas e tomem suas decisões de compra de maneira mais inteligente, ao mesmo tempo em que as empresas ganham mais prestígio.

Vantagens e desvantagens de um marketplace

Não há dúvida de que esse é o canal de vendas mais poderoso da atualidade, oferecendo infinitas oportunidades. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), os marketplaces registram crescimento de 3% e totalizam 135,6 bilhões em vendas em 2022.

No entanto, antes de implementar qualquer tipo de estratégia, é fundamental avaliar as vantagens e as desvantagens desse tipo de plataforma. 

Vantagens do marketplace

  • Investimento inicial: a maioria dos marketplaces não faz nenhuma cobrança inicial para que as empresas comecem a vender, então o custo inicial é consideravelmente baixo em comparação a outros canais de vendas online. Ou seja, você não precisa investir dinheiro na criação de um site, publicidade ou posicionamento no Google.
  • Visibilidade: os marketplaces oferecem maior visibilidade do que uma típica loja online pois os produtos estão listados em plataformas que já contam com milhares de usuários. Além disso, graças ao sistema de reputação, a visibilidade e o posicionamento no marketplace podem aumentar com o tempo.
  • Facilidade: criar um e-commerce é algo que exige experiência, conhecimento técnico, tempo e dinheiro – além dos eventuais problemas operacionais que podem surgir. Já o marketplace oferece a possibilidade de começar a vender rapidamente, precisando apenas configurar a loja e fazer upload de seus produtos.
  • Venda cruzada: os consumidores entram em marketplaces como a Amazon querendo comprar determinados produtos, mas podem acabar levando outros itens semelhantes ou complementares (o chamado "cross-sell"). Em muitos casos, é a própria plataforma que recomenda seus produtos e ativa a venda cruzada.
  • Segurança e credibilidade: grandes marketplaces oferecem muita confiança aos consumidores, que sabem que esse é um espaço seguro para fazer compras e usar cartões de crédito. Isso permite que sua marca também seja percebida como confiável.
  • Vendas internacionais: outro ponto interessante é que seus produtos podem chegar ao marketplace internacional, uma vez que muitas plataformas oferecem a opção de vender para outros países. Isso é algo difícil de conseguir quando utilizamos nosso próprio canal de vendas.
  • Suporte: a maioria das plataformas oferece muita documentação e suporte humano para resolver problemas ou aumentar as possibilidades de vendas.

Nova call to action

Desvantagens do marketplace

  • Concorrência: um dos pontos mais negativos do marketplace é que esse é um canal de vendas supersaturado e altamente competitivo. Por isso não é fácil encontrar um lugar.
  • Margens de vendas: a plataforma mantém um percentual a cada produto vendido, reduzindo as margens de vendas. Logo, calcule a rentabilidade e verifique se é possível assumir esse corte antes de começar a vender.
  • Retenção de pagamento: Geralmente, os marketplaces não fazem o pagamento imediato pelas vendas realizadas, retendo o dinheiro até que as condições de envio e devolução sejam atendidas. Além disso, costumam acumular o saldo e pagar periodicamente, semanalmente (por exemplo, mensalmente ou a cada 15 dias).
  • Dificuldade em branding: divulgar sua marca dentro de um marketplace não é fácil, já que a plataforma não costuma oferecer muitas opções além do perfil do vendedor. O seu principal interesse é promover a sua própria marca e não a dos seus vendedores.
  • Clientes não são seus: quando você tem seu próprio e-commerce, as informações dos seus clientes ficam armazenadas em seu banco de dados e você pode utilizá-las na implementação de outras estratégias, como análise comportamental ou campanhas de email marketing. Porém, isso não é possível em um marketplace, pois os clientes são seus.
  • Custos extras: alguns marketplaces só são acessíveis mediante pagamento de uma mensalidade ou oferecem serviços pagos, como gestão de stocks, armazém ou destaque de produtos através de publicidade. Lembre-se de incluir espaço no orçamento para esses custos extras.
  • Políticas: As políticas e regras são definidas pelo marketplace e podem mudar a qualquer momento, incluindo o percentual de comissão. A plataforma pode manter o direito de expulsar qualquer vendedor que não cumpra as regras, então fique atento a qualquer alteração dos termos de uso.  

Tipos e exemplos de marketplace

Depois de saber mais sobre marketplace: o que é, como funciona, suas as vantagens e desvantagens que oferece, é hora de aprender quais são os tipos disponíveis. De modo geral, eles são divididos de acordo com o tipo de clientes:

  • B2C: é o tipo de marketplace mais comum, em que as empresas vendem produtos ou serviços ao consumidor final. Os usuários podem comprar produtos de diversas marcas, comparar preços e receber suas compras no conforto de sua casa. Amazon, eBay e AliExpress são os exemplos mais conhecidos.

Esta é uma imagem que mostra a página de compras da Amazon, com ideias de presentes.Fonte: Amazon 

  • B2B: Os marketplaces B2B são aqueles em que as empresas tentam vender seus produtos e serviços para outras empresas. Seu uso pode ser único ou pode se tornar seu provedor permanente. A Amazon também oferece este serviço, mas existem outros marketplaces deste tipo, como Alibaba ou Solostocks.
  • C2C: existe um terceiro tipo de marketplace que cresceu muito na última década. Eles oferecem uma plataforma de vendas entre usuários, seja para venda de produtos novos ou usados. Wallapop, Facebook Marketplace, Vibbo ou Vinted são alguns dos mais populares.

8 exemplos de marketplace

Com o passar dos anos, os marketplaces se popularizaram e hoje fazem parte das vidas de milhares de pessoas. Graças a estas plataformas é possível vender e comprar qualquer tipo de produto com facilidade e rapidez.

1. Amazon

A Amazon é o maior e mais poderoso marketplace do mundo, recebendo quase 5 bilhões de visitas só em 2022. A plataforma oferece um espaço de vendas e ferramentas que facilitam muito a implementação de uma estratégia, mas também tem muita concorrência. 

2. AliExpress

O AliExpress é uma ótima alternativa à Amazon e um excelente lugar para vender produtos. A maioria de seus vendedores é de origem chinesa, mas também oferece espaços de venda locais onde a concorrência é menor. Sua vertente B2B, Alibaba.com, é um marketplace ideal para encontrar fornecedores baratos ou oferecer seus produtos e serviços para outras empresas.

3. eBay

O eBay é uma plataforma que existe desde 1995. Embora o seu volume de vendas tenha diminuído nos últimos anos, ainda é o segundo maior marketplace do mundo. É uma plataforma conhecida por seu sistema de vendas em leilão e foco em peças usadas ou de segunda mão. Ao mesmo tempo, é tanto B2C e C2C – ou seja, qualquer pessoa ou empresa pode vender os seus produtos nesse marketplace internacional. 

Esta é uma imagem que mostra a página de compras do Ebay, com produtos e descontos.Fonte: eBay

4. Miravia

Miravia é um marketplace que vem crescendo rapidamente no último ano. Pertence ao Alibaba e está focada em setores como moda, beleza e acessórios, mas também possui produtos de outras categorias. Essa plataforma oferece grandes oportunidades como canal de vendas, pois ainda não está supersaturada e as suas comissões de vendas são baixas. 

5. Zalando

Fundado em 2008 por Robert Gentz, o Zalando é um marketplace online focado na venda de calçados, roupas e acessórios. Ganhou adesão ao longo dos anos graças ao seu excelente trabalho de marketing, SEO e vendas. As melhores marcas têm espaço de vendas próprio na Zalando, sendo atraídas pela facilidade de gestão, o amplo alcance e as baixas comissões.

6. Etsy

Etsy é um marketplace especializado na venda de produtos artesanais e itens decorativos feitos à mão. É uma plataforma que opera a nível mundial e que qualquer pessoa pode registar-se para vender os seus artigos, sendo ideal para artistas. Ainda que sua taxa de comissão seja baixa, é preciso pagar uma mensalidade para criar e manter sua loja.

Esta é uma imagem que mostra a página de compras do Etsy.

Fonte: Etsy

7. Wallapop

Wallapop é um marketplace de origem espanhola e uma das maiores plataformas de compra e venda de segunda mão do mundo. Qualquer usuário pode fazer upload de seus produtos e colocá-los à venda em menos de cinco minutos e sem precisar pagar comissões de vendas. É um canal de vendas subestimado, pois o usuário pode vender novos produtos, trabalhar o posicionamento e benefícios para fidelizar o cliente.

8. Marketplace do Facebook

O Facebook Marketplace é outra plataforma C2C que permite vender produtos novos e usados ​​​​entre usuários da rede social. A sua maior vantagem é ser um marketplace geolocalizado, ou seja: os produtos são apresentados preferencialmente a utilizadores próximos. O Facebook não cobra comissões e oferece grandes oportunidades para negócios locais.

Esta é uma imagem que mostra a página de anúncios do Marketplace do Facebook. Fonte: Facebook Marketplace

Como você viu, os diferentes marketplaces disponíveis oferecem várias oportunidades para qualquer negócio. É possível transformar o espaço em um canal de vendas extra para aumentar sua receita ou em sua principal forma de aquisição de clientes.

Você vendeu ou vende seus produtos em um marketplace? Você está pensando em começar a vender? Conte-nos sua experiência nos comentários ou tire suas dúvidas!

Nueva llamada a la acción

Publicado em 05 de Dezembro 2023.

Revisado e validado por Jalusa Lopes, Country Manager da InboundCycle Brasil

FAQ sobre marketplace

  • O que é marketplace e como funciona?

    Um marketplace é uma plataforma ou site onde diferentes vendedores, marcas e empresas se reúnem com o objetivo de expor seus produtos ou serviços. É um tipo de e-commerce e, para muitas companhias, é o principal canal de comércio eletrônico.
  • Qual é a diferença entre e-commerce e marketplace?

    O marketplace é uma plataforma controlada por terceiros que reúne um grande número de vendedores e marcas. Já o e-commerce é a loja individual da própria empresa e só ela coloca seus serviços ou produtos à venda.
  • Como funciona a Amazon Marketplace?

    A plataforma oferece um espaço de vendas e ferramentas que facilitam muito a implementação de uma estratégia, mas também tem muita concorrência.
  • Como começar a vender no marketplace?

    O primeiro passo é criar uma conta de vendedor e cadastrar sua loja, incluindo logotipo, descrição, dados fiscais, formas de pagamento, entre outros. Assim que a configuração inicial estiver pronta, você precisa fazer upload dos produtos que deseja vender.
Ver mais

Outros posts que podem te interessar...

Marketing digital Product market fit: o que é e como defini-lo para o seu negócio
Por Ana Claudia Ferreira en
Marketing digital Marketing de produto: o que é, como usar e exemplos
Por Susana Meijomil en
Marketing digital O futuro da inteligência artificial: impactos no emprego e no consumo
Por Marina Mele en
Marketing digital Favicon: o que é, como criar e características
Por Ana Claudia Ferreira en

O que você acha? Deixe um comentário!